«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Pedradas XLV

Vómito

vómito:
mancha esquecida sobre o chão de tijoleira,
conspurca o pensamento, molda as imagens
com o seu raiar de sangue velho,
satura o ar com o seu odor acre

vómito:
fervem os espaços do tempo,
quebram-se os espelhos em ruído,
e os vermes rastejam numa tentativa
de libertação, de alienação

o vómito continua lá, seco
[deito a mão ao peito
o coração ainda lá está]

2 comentários:

  1. não imaginas como gosto de te ler

    beijinho Laura!

    ResponderEliminar
  2. (entre o asco e o devaneio
    o vômito)

    esse olhar revela
    ...


    Beijo carinhoso.

    ResponderEliminar