«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

sábado, 2 de janeiro de 2021

azevim da D. Ana Maria

na casa da Ana Maria, ainda as suas filhas eram gaiatas, nasceu um azevim destemido. e lá foi crescendo no reduzido quintal, porque este não servia para nada. as miúdas corriam livres pelas ruas de Pitões das Júnias e as tronchudas e as batatas cresciam num quinhão de terra á entrada, que também é saída da aldeia.
o azevim cresceu, as miúdas tornaram se mulheres e a Ana Maria curvou com o peso da dureza da vida e dos anos.
no Natal os seus ramos serviam para os tradicionais arranjos e durante o ano servia para ocupar o seu lugar.
na casa da Ana Maria, primeiro faltou o marido, uma geada que lhe deu levou-o em duas semanas. depois Braga roubou-lhe as filhas, deu-lhe netos e netas, que também foram roubados por outras cidades, outros países.
em Braga tinha um quarto com o seu nome, nunca lá colocou o pé, Se me tirares daqui, morro.
Ana Maria morreu sentada nas escadas a admirar finalmente o azevim. ficou a casa, ficou a árvore, algumas pedras cederam, mas a casa mantém-se.
também a Ana Maria continua, sentada confortavelmente nas escadas, a contemplar o azevim coberto de neve.

Pitões das Júnias
levanta-te

nenhuma estrada se percorre sozinha
nenhum caminho te desvia de ti
levanta-te
olha o que os outros não vêem
sê louca e ri alto, sê louca e permanece em silêncio
levanta-te

Depeche Mode - Wrong (Official Video)


errado

é estar de um lado e do outro
entre os vivos que não falam e os mortos que não se calam
é uma linha invisível que separa
o ser-querer do querer-ser
é um fio da navalha
que se afia nos minutos dos dias, nos dias dos anos
é um choro
que se abafa no peito e uma gargalhada que se deixa no ar
é um ser assim
insatisfeito, sem motivos

é ser :
sem ser
sem querer ser
sendo
ser sem querer ser

sábado, 12 de dezembro de 2020

The Background World




nós somos:

os que se escondem ao dobrar da esquina por tão feios que somos

os que dobram a roupa ao fim do dia na esperança que seja a última vez

os que raspam a comida do prato de tão velha que está

os que a tosse se confunde com a voz

os que o silêncio se confunde com os gritos no peito

os que conhecem o sabor das lágrimas

os que moldam os risos entre os lábios

os que dançam à chuva sem medo

os que correm na noite livre

os que estão na jaula

e tu, de que lado estás da grade?

sábado, 26 de setembro de 2020

Marilyn Manson - DON'T CHASE THE DEAD (Official Video)



dura a eternidade
até os sete palmos de terra
me cobrirem o rosto
vendam as terras
vendam as casas
queimem as roupas
espatifem os carros
e esqueçam-me
não há amanhã

sexta-feira, 19 de junho de 2020



aqui agora nada ninguém
medo muito medo sono
insónia silêncio
dormir
nada aqui silêncio amanhã

não me apontes o dedo
não me olhes
se não me amas, precisas fazer nada

sexta-feira, 17 de abril de 2020


será que alguém,
do outro lado,
alguém do outro lado me dá mão,
enquanto deste lado
finjo desaparecer
mas hei-de regressar
feito filha pródiga
mas neste momento, não estou aqui
e não estou aí, não sou eu, nem tu