«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

balada XI

só queria que me falasses
de histórias inventadas quando entrelaçamos as pernas
e eu sussurrava ao teu ouvido,
a mentira não me serve


só queria que soubesses
o frio que trazia na pele
que jazia sobre os teus lábios quentes


só queria uma vez mais
a estrada sinuosa,
a noite,
e o banco de trás do teu carro


mas todos os copos se esvaziaram
e as camas foram incendiadas
numa mistela de cinza e sangue


agora vejo-me no espelho
a desaparecer
estou sentada à tua porta
e nem um cêntimo me sobra


Lydia Lunch & Nick Cave - Done Dun

4 comentários:

  1. até a mais furiosa procela acaba em vaga envergonhada numa qualquer poça de praia, onde pequenos com pregas nas virilhas chapinham as suas ilusões...

    ResponderEliminar
  2. Laura,

    perigosa brincadeira:
    sentir sem sentido,
    parecendo não ter sentido.

    No fim de tudo,
    tocado,sofrido,
    sentido e muito.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  3. a pele não se esquece dos caminhos que percorre...

    Beijinho extasiado, Laurinha!

    ResponderEliminar