«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

quinta-feira, 31 de março de 2011

"O coração é um vasto cemitério"-Heiner Muller

XXXI
as pernas tinham sido cortadas, na linha imediatamente abaixo dos joelhos, enfiava os cotos em duas latas: de chapa prateada, que brilhava entre as pedras da calçada.
vendia amores perfeitos: roxos, lilases, violeta, cor-de-rosa. os seus olhos sorriam perante os ramos atados com gigantes folhas verdes atadas por um cordel.
entre os vendedores de lotaria, de rifas, os aleijados, os pedintes, os alcoólicos, vendia ramos de amores perfeitos e guardava os trocos em latas.

3 comentários:

  1. há tanto mais a esconder-se para lá da linha fria da realidade...
    beijos, amiga!

    ResponderEliminar