«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

sexta-feira, 18 de março de 2011

"O coração é um vasto cemitério"-Heiner Muller

XXIX
ficava horas, horas seguidas a olhar para a parede: a cal branca, imaculada. os dias estendiam-se, pelas tábuas do quarto, pelas paredes do quarto, enquanto o gigante arreganhava os dentes.
a noite deitava-se no dia, o dia deitava-se na noite: é o estar sozinho, o estar acompanhado, procurar um rosto, um qualquer rosto, que sorrisse, que dissesse, estou aqui, mas não estou. a multidão dilui-nos, dilui-me.
horas a fio desenhavam riscos no branco, riscos e mais riscos até que o branco era negro, o frio era o refúgio e tu, o silêncio. e ficar assim, a olhar de olhos cerrados.

1 comentário:

  1. aquilo que é essencial percepciona-se com os olhos fechados.
    beijos, amiga!

    ResponderEliminar