«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Puebla de Lillo, 01/01/2010

De uma qualquer janela
Observo aquele decidido manto branco,
Agasalhando o solo indefeso.

A surripiadora águia rasgando os altos céus
Em busca do inocente alimento.
Tímidas lebres invisíveis,
Resguardadas nas suas tocas.

Lá fogem as nuvens,
Prometendo violentas tempestades.
E lá segue o vento,
Descendo as montanhas,
Assomando aqueles que o evocam.

E eu sou, um tímido floco de neve,
Aos tropelões pela atmosfera,
Que se liquefaz num ramo de urze.

1 comentário: