«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

domingo, 27 de maio de 2012

notas tácteis para poema de possível amor


I
lavo a pele com água a escaldar,
preparo o terreno
onde os vermes farão pousio

II
procuro as vestes perfumadas
com que ornamentarei o corpo,
mapa de urgências mudas

III
corto pedra, faço um trilho
abismo fundo
de nossos corpos descartáveis

IV
cerro os olhos, busco agulhas
se não enxergar,
o amanhã nunca chegará


Fotografia de Pedro Polónio, http://club-silencio.blogspot.pt/

2 comentários:

  1. estou certa disto: solidão é terreno fértil!

    beijinho minha querida!

    ResponderEliminar
  2. Teus poemas são carregados de imagens espantosas.

    ResponderEliminar