«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Manifesto CXXXII

queda em espiral sobre manto branco

acordei para descobrir que o tempo tinha parado
ali sobre a mesa, entre o pó branco que se acumula, repousa: fechado, calmo, perante lábios semiabertos
encontro o sopro quente, fugaz interior, como a escaldante areia que se teima agarrar, para de pois se perder
e sei que ainda assim, entre o estender da noite sobre o quarto e o desenho da luz nos corpos desnudos, ainda assim, despertarei no armário das recordações, no armário escondido e cerrado da nossa memória

1 comentário:

  1. a solidão nos revela
    tantas nuances
    de tantas coisas
    ...


    Beijo carinhoso.

    ResponderEliminar