«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

desAlinhados XXXII

venho aqui
com o toque dos teus dedos na minha pele
a lembrança dos teus lábios no meu corpo
e a carne talhada pela tua navalha cruel

sou aquela
que empurras contra a parede fria, nua
que jogas sobre os lençóis infectos
que embate violenta no chão do teu quarto

só mais uma vez
abro as pernas sem pudor
consentindo ser tua meretriz
e tu percorres as estradas esquecidas, as tuas estradas
em carne viva, sangrando por ti

sonhamos uma vez
enquanto aprendíamos a dizer adeus

 

11 comentários:

  1. Que poema DELICIOSO, assim como a entrega, a vontade e a recusa - ou não. Sexo é vibrante a a tua poesia excitante.

    Parabéns pelo espaço.

    ResponderEliminar
  2. Que sequencia, Laura!

    Só mais uma vez...

    Beijinho, grande poeta!

    ResponderEliminar
  3. Um poema aparentemente violento, mas onde a verdade das palavras encerra o amor doce incontornável da carne.
    Excelente, voei nas tuas palavras.
    Um beijo, querida amiga.

    ResponderEliminar
  4. "Sonhamos uma vez,enquanto aprendíamos a dizer adeus".
    Que frase..., Laurinha!
    Creio que não precise dizer mais nada.

    Beijos e beijos!

    ResponderEliminar
  5. Laura,
    de uma intensidade incrível a tua escrita.
    gosto sempre!

    beijo

    ResponderEliminar
  6. Olá, parabéns pelo blog!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderEliminar
  7. Texto forte, tão VIVO quanto o sangue que dele sangra!!

    beijoss

    ResponderEliminar
  8. Laura, minha querida amiga, tem um bom domingo e uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  9. Como sempre adoro os seus desalinhados.
    Profundos.

    Beijos

    ResponderEliminar
  10. Há que aprender a dizer adeus...!

    Mensagem forte, esta, como a de todos os teus posts. Não saio nunca daqui sem uma ideia em que pensar. Por isso volto sempre! :)

    Beijos

    ResponderEliminar