«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

segunda-feira, 16 de julho de 2012

purgatorium XXXIII



E amanhã?
Ainda haverá vento fazendo as bandeiras esvoaçar bem alto nos mastros? Ou será que foram todas queimadas nas noites geladas, pintando o céu escuro em tonalidades cor de laranja?
E amanhã?
Quantos serão os pés que pisam as calçadas, com seus sapatos luxuosos? E quantos são os que correm de pés descalços? E quantos deles se abrigam nas sombras dos becos, esquecidos, como que enterrados?
E amanhã?
Quantos serão os túmulos que irão ser abertos? Quantos os registos queimados? Quantas valas comuns? E quantos os que morrem sem nascer? E quantos os que nascem para morrer?
E depois de amanhã? E hoje? E depois de hoje?
[Apenas à espera que o tempo se cumpra, somente. E todo esse mar imenso onde saberia por certo perder.]
Que se calem as vozes, definitivamente. Apenas tenho saudades de mim.

14 comentários:

  1. Não sou pessimista, mas temo o pior...
    Mas não temo as tuas palavras, com as quais fazes magníficos textos como este. Resumindo, gosto das tuas palavras. As de hoje e as de amanhã.
    Beijo, querida amiga.

    ResponderEliminar
  2. esse céu lembrou-me as tonalidades da Lara! sempre bom te ler. beijo

    ResponderEliminar
  3. Laurinha,

    Quando temos saudades de nós mesmos, é porque antes tínhamos as respostas, e agora, apenas nossa presença; pois as respostas também se fazem da ausência.

    Já te disse e repito: adoro essa tua série!

    Beijos e ótimos dias!

    ResponderEliminar
  4. e amanhã: eu sempre me pergunto e me calo em respostas,



    beijo

    ResponderEliminar
  5. Achei seu blog na blogosfera.
    E adoreii!

    Já estou te seguindo..
    Me visite tbm
    http://lidiepaulo.blogspot.com.br

    Beijocas
    Ótima Semana \º/

    ResponderEliminar
  6. Os dias negros insinuam-se, já se sente o bafo fétido da fera...

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  7. Sempre sinto saudade de mim, pois nunca me encontro no hoje e quando me procuro no amanhã... encontro o silêncio mais alto.
    Saudade de te ler!
    Bj grande

    ResponderEliminar
  8. Suas palavras me fazem lembrar do que não quero ver amanhã.
    O hoje ainda está de bom tamanho apesar dos pesares.

    Bjs.

    ResponderEliminar