«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Manifesto LXVIII

Não me pareces assim tão bem

cansei
e a língua secou
de tanto lamber esse veneno
escorrendo aos poucos
pelo tronco empedernido

enjoei
e o estômago revirei
à procura do alimento
jogado à podridão
nos teus braços imóveis

beberei
o fim das tuas mãos
apertando o punhal
que nos haveria de libertar
aos dois, dos dois


DEAD COMBO "Viuva Negra"

4 comentários:

  1. gosto especialmente das nuances expressivas que desenhas a partir do jogo verbal, onde o pretérito se enterra e o futuro ganha asas...
    um abraço, amiga!
    p.s. ei, dead combo, há que séculos não os ouvia...

    ResponderEliminar
  2. não uses cera... apenas o desejo férreo de voar!

    ResponderEliminar