«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

sábado, 3 de abril de 2010

Slurp

Redondo.
Como o quadrado.
À espreita.
No frio.
De qualquer esquina.
Destemido.
Grão de pó.
Sequioso.
Por uma frincha.

3 comentários:

  1. nome

    breve
    (como tu)
    cruza olhares
    e estende-se
    na passerelle da vida,
    sem medo de perder
    sem a ilusão de vencer.
    frágil
    apenas frágil
    (nada sabe da timidez
    e jamais ouviu falar de soberba).

    letra sobre letra
    toca
    os círculos de peixes na água
    as linhas exactas do corpo
    e as curvas imprevisíveis das mãos.

    houve tardes em que me pareceu ver
    o sol a incendiar
    a boca que ainda o sabe dizer;
    era apenas o brilho por detrás da cortina
    do tempo que eu não soube viver.

    ResponderEliminar
  2. Ups... problemas técnicos... Enviei a mensagem quatro vezes, hihihi.

    Beijinho britânico, Laura!

    ResponderEliminar