«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

notas para amor ébrio


"eles não sabem que vão morrer"
José Saramago

I
são as sombras que nos desenham
nos paralelos de qualquer cidade
nas noites em que nos perdemos

II
não sei dançar, nunca soube
não sabes dançar, esqueceste-te
os mestres há muito que se foram

III
esvazia as tuas garrafas
enche os teus copos
alguém saberá como limpar os despojos da noite

IV
sem voz, sem silêncio
[as trevas penetram pelas paredes do quarto]
rápido, antes que a última golfada de sangue seque

V
os que brincam com as cinzas
não são os mais destemidos
são talvez os mais tolos inconsequentes

VI
no fim
não haverá urna
que nos sirva

9 comentários:

  1. Pra quem interessa... deixo sempre um copo cheio esperando...
    Bj, poeta

    ResponderEliminar
  2. outra urna que nos habita ou que vamos habitar,

    beijo

    ResponderEliminar
  3. a vida é uma linha tão sóbria...

    beijinho, amiga poeta!
    saudade!

    ResponderEliminar
  4. "são as sombras que nos desenham
    nos paralelos de qualquer cidade
    nas noites em que nos perdemos"

    Já começa me arrebatando. Que belo poema!

    Beijo.

    ResponderEliminar
  5. belíssimo! adorei todos eles e especialmemnte os tolos inconsequentes :) beijo

    ResponderEliminar
  6. Laurinha,
    que bom te ler de novo!

    Se no fim não haverá urna que nos sirva, é bastante provável que brincar com as cinzas seja interessante.

    Beijos e ótimos dias!

    ResponderEliminar
  7. este perturbou-me... mas gosto que as palavras me perturbem!

    ResponderEliminar
  8. Urna que sirva
    Cinzas com flores jogadas ao mar.

    Bjs.

    ResponderEliminar