«Escrever não é agradável. É um trabalho duro e sofre-se muito. Por momentos, sentimo-nos incapazes: a sensação de fracasso é enorme e isso significa que não há sentimento de satisfação ou de triunfo. Porém, o problema é pior se não escrever: sinto-me perdido. Se não escrever, sinto que a minha vida carece de sentido.»
de Paul Auster
"Saber que será má uma obra que se não fará nunca. Pior, porém, será a que nunca se fizer. Aquela que se faz, ao menos, fica feita. Será pobre mas existe, como a planta mesquinha no vaso único da minha vizinha aleijada. […] O que escrevo, e que reconheço mau, pode também dar uns momentos de distracção de pior a um ou outro espírito magoado ou triste. Tanto me basta, ou não me basta, mas serve de alguma maneira, e assim é toda a vida."
de Bernardo Soares

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

desAlinhado XXI

uma mancha que se alastra
pairando sobre a minha cabeça
que se alastra e alastra
até que sou absorvida pela escuridão


[e o vazio é o abismo que se estende
entre os passos e o porto que não se vislumbra]


queria saber onde se guardam
as chaves das portas inexistentes
compreender que nascemos,
nados-mortos, com a sentença definida
e todos os caminhos nos levam a lugar nenhum
e todos os sorrisos são de ninguém

3 comentários:

  1. Laurinha, tudo bem?

    Somos todas as possibilidades, não é mesmo?

    Beijinhos e ótimos dias!

    ResponderEliminar
  2. Adorei o teu blog, ta cheio de coisas lindas para se ler, já estou seguindo, me arrisco escrevendo alguns versos tortos se desejar visita lá http://joselito-expressoesdaalma.blogspot.com,
    se gostar segue lá, fiaria contente em te ter por lá!!! Um forte abraço e parabéns pelo teu belo espaço!!!

    ResponderEliminar
  3. laura,
    cada passo é novo pedaço de asfalto que engolimos. no seu lugar, apenas a memória do que calcámos.

    she's lost control - há quanto tempo...

    ResponderEliminar